esquerda

Publicado originalmente em verbo:
Na conferência Ür-Fascismo proferida por Umberto Eco em 1995, ele traz algumas narrativas pessoais que são belíssimas. Uma delas me foi particularmente sensível: Grudado ao rádio, passava as noites – as janelas fechadas e a escuridão geral faziam do pequeno espaço em torno ao aparelho o único halo luminoso – escutando…

Um Assassinato Qualquer

Publicado originalmente em jardim das incertezas:
Um boteco é como uma zona livre, um espaço autônomo perdido nas entranhas da cidade: ideias irresponsáveis, casos fantásticos, personalidades em ebulição, e o companheirismo que parece se afirmar autêntico e livre das amarras da competição, e às vezes o oposto também, como uma guerra fugaz e furiosa, uma…

A política no Pará (5)

Publicado originalmente em Lúcio Flávio Pinto:
(Dou continuidade aos textos publicados na edição de aniversário de 1982 de O Liberal) Em 1947, voltaram a votar 120 mil eleitores, em um colégio eleitoral de 200 mil (o Pará tinha um milhão de habitantes). Deveriam escolher o novo governador (havia então um interventor, José Faustino),…

Caridade embutida

Publicado originalmente em Terceira Margem:
JOSÉ CARLOS FINEIS – Um homem muito pobre, inclusive de informações, bateu numa casa bonita já preparado para receber cara feia, mas tinha fome e precisava de algo para comer. A empregada o atendeu e pediu que esperasse. Minutos depois, surgiu com uma sacola de supermercado cheia de salsichas bem…

Concreto abstrato

Publicado originalmente em Canhenho :
Entre tudo, vem como quem não quer– nadar – mas mergulha até onde não iria, de corpo unhado e peito brando..Me abraça o coraçãome achega o rosapinta a nuvem onde os pássaros posamConcreto abstratoA câmera é lenta de flores perfumadas,assistimos a noite de mãos dadas,deitados nas estrelascaminhamos pelo sentido do que não tem,calados de…

Viagem com as Flores da Primavera

Publicado originalmente em O Caminho do Samurai:
O inverno terminou. As primeiras flores da primavera nascem nos campos de Rokugan. Após a vitória sobre os piratas, os samurais conversam com o daimyo de Itori sobre os caminhos a seguir. Asako Hiroshi lhes informa que enviou Kakita Shinichi e Asako Haru para conseguirem mais informações sobre…

O casamento!

Publicado originalmente em Devaneios:
#tragédia A Tragédia ? ?Meu nome é Paloma e tenho um filho de sete anos que se chama Arthur. Estamos num salão de festa organizando o casamento do meu cunhado, que casaria amanhã. Agora a noite era pra ser o ensaio do casamento, mas um homem entrou atirando e matou três…

Onde está o que estava aqui?

Publicado originalmente em Um de Tudo:
Voltei a acompanhar as notícias. Reconheço o fato de que é uma reação psicológica, como se diante dos problemas que a vida tem colocado diante de mim eu precisasse provar a mim mesmo que as coisas ainda podem piorar. “Algumas vezes parece que é o fim, mas não é.”…

D’un petó a la fi del món

Publicado originalmente em Pen:
M’imagino fent-te un petó, un petó acariciant-te la cara amb una mà i l’esquena amb l’altra. Besar-nos els llavis sentint la teva llengua, sentint el teu sabor. Ara el recordo a la perfecció, pro no trobo comparació que el descrigui. Imagino fent-te un petó suau, i en apartar-me, mossegar-te el llavi inferior.…

Fahrenheit 451, Ray Bradbury

Publicado originalmente em Technically delicious human:
“Se te derem papel pautado, escreve de trás pra frente.” Juan Ramón Jiménez. Quando li Fahrenheit 451 pela primeira vez, tive a certeza de que este era meu livro favorito. Terminei ontem a segunda leitura e fiquei ainda mais fascinada. O título lembra-me de qual lente eu quero usar…

Resenha: ‘Where Reasons End’

Publicado originalmente em Pássaro de Corda:
“Words, mother dear, Nikolai said. We will be catching each other’s words, don’t you see?” – LI (2019) Em 2017 eu conheci Yiyun Li através de um livro que escrevera nos meses seguintes a suas duas tentativas de cometer suicídio. Foi uma leitura que tocou no fundo da…