Idade das trevas – Por Henry David Thoreau (1843) [tradução]

Antimidia Blog

Imagem | Domínio Público viaWikipédia

Tradução livre | Eder Capobianco

Publicado originalmente na revista The Dial, Volume 3, de 1843.

Devemos ler a história tão pouco criticamente quanto consideramos a paisagem, e nos interessar mais pelas matizes atmosféricas e pelas várias luzes e sombras que os espaços intermediários criam do que por seu fundamento e composição. É a manhã que virou noite, vista no oeste – o mesmo sol, mas uma nova luz e atmosfera. Sua beleza é como o pôr do sol; não um afresco em uma parede, plano e delimitado, mas atmosférico e errante, ou livre. Na realidade, a história flutua como a face da paisagem da manhã à noite. O que é importante é sua tonalidade e cor. O tempo não esconde tesouros; não queremos que seja depois, mas agora. Não reclamamos que as montanhas no horizonte são azuis e indistintas; eles são ainda…

Ver o post original 853 mais palavras