Professor e uma pandemia depois

Hugo Diego Rezende

Por Letícia Scudeiro: Um ano e meio de pandemia foram suficientes para o professor ter seu papel realçado. A tecnologia mudou sua atuação no ensino, mas sem empenho e envolvimento, a travessia teria sido impossível. Como o professor se sentiu nesse período? ?O principal desafio é o de você falar sozinho, de não ver a reação dos alunos, e não conseguir perceber se eles estão gostando, se estão odiando, se estão dormindo, ou se estão lá”, diz o docente Celso Sabadin, que leciona cinema, jornalismo e rádio e TV há três anos na Universidade São Judas, em SP.

professor e aula presencial

Professor Celso Sabadin: ensino presencial é fundamental (foto: reprodução)

“Eu não sei se eu escolhi ser professor ou se essa profissão me escolheu, é uma coisa que eu sempre gostei”, destaca. Porém, por conta da pandemia, as aulas online tomaram espaço e muitas características de uma aula presencial foram perdidas. “O…

Ver o post original 317 mais palavras