A Morte do Vampiro (Zulmira Cavalheiro)

EntreContos

Eu sou psiquiatra. Ou costumava ser, antes de ter o meu registro cassado pela Ordem dos Psiquiatras do Brasil.

Tudo começou quando minha secretária recebeu a ligação daquele homem que desejava ser atendido depois das nove horas da noite. Bastante fora do meu horário, mas resolvi abrir uma exceção. Até porque ele se dispôs a pagar um “adicional noturno”.

Quando chegou, fiquei admirado com sua aparência, mas como sempre aparentei naturalidade. Alto, magro, muito pálido e extremamente bem vestido. Ao apertar minha mão tive um arrepio, tão gelada era a sua pele.

Sentou-se devagar e olhou-me profundamente nos olhos.

“Estou aqui porque a minha mulher me obrigou.”

“Por que a sua mulher achou necessário o senhor vir aqui?”

“Ela acredita que eu seja vítima de uma fantasia criada por minha mente.”

“Que fantasia seria essa?”

“Não há nenhuma fantasia, somente a realidade. Realidade que ela insiste em não admitir.”

“Que…

Ver o post original 1.577 mais palavras