Carpe Diem

Sonia Zaghetto

Aqui está o Vesúvio, dias atrás verdejante, com vinhas sombreadas –

estas colinas que Baco amava mais do que as terras de Nysia;

estas montanhas em que há pouco tempo os sátiros dançavam.

Esta casa de Vênus era mais prazerosa que Esparta,

este lugar famoso por causa do nome de Hércules,

Tudo isso jaz coberto de chamas e cinzas tristes.

(Marcus Valerius Martialis. Epigramas IV, 44.1)*

Numa fresca manhã de outono do ano de 79 d.C., o vulcão Vesúvio acordou de um prolongado sono de mais de 500 anos. Aos seus pés, floresciam vinhas e uma pequena cidade voltada para as alegrias da cama e da mesa: Pompeia. Em poucos minutos, fogo e cinzas sepultaram copos de vidro, jarras coloridas, estátuas de jardim e pães recém-saídos do forno. As casas decoradas com mosaicos e afrescos tornaram-se o túmulo de milhares de habitantes da cidade que cultuava dois…

Ver o post original 1.019 mais palavras