Os dilemas da luta por uma sexualidade emancipada nos tempos da pós-modernidade, por Matheus Fernando Sadde(*).

em

Boletim do LEMA

A luta contra a modernidade e o capitalismo contemporâneo.

Vivemos num mundo em transformação. O capitalismo parece se reproduzir numa contínua crise estrutural. O trabalho humano se encontra ainda mais subjugado às formas de dominação e controle por parte do capital e o atual padrão do processo de trabalho apropriador da dimensão cognitiva do trabalho humano parece ser o mais novo mote histórico do mundo do trabalho. O processo de trabalho se reconfigurou no sentido de uma maior flexibilização, automação e interatividade. As plataformas, os algoritmos e as redes sociais moldam pensamentos, comportamentos e subjetividades com o objetivo de criarem não só consumidores vorazes, mas, acima de tudo, indivíduos que vivem quase que em um modo esquizóide. Os sujeitos de nosso tempo estão alienados de si, do outro e da realidade concreta e objetiva que os condiciona. Uma situação que desafia a construção intersubjetiva de uma unidade entre estes mesmos…

Ver o post original 4.353 mais palavras