“E assim já não posso sofrer no ano passado” – uma crônica para 1, para 400.000 e para o Belchior também

em

histórias da gata preta

Sexta-feira, 30 de abril de 2021 (o fim de um abril despedaçado)

Skagen Graa Fyr, Farol de Skagen, Dinamarca

Abril foi um mês bem comprido por aqui. Disseram que no Brasil este seria o abril mais triste das nossas vidas até hoje, não importando que idade tivéssemos. Particularmente, no meu caso o abril mais triste foi o do ano passado, quando tive a perda maior da minha vida mas, olhando por uma lente grande angular, que amplia o meu quintal para fora dele mesmo, entendo o que quiseram dizer. Para todo lado que eu me virei neste último mês, só vi sinais de luto, e nem precisei de números oficiais para enxergar isso. A morte deixou um rastro bem vivo, por aqui, e assim segue ainda. No dia em que o país superou a triste marca dos 400.000 mortos pela Covid-19, fez um ano que eu perdi meu tio/irmão/amigo, morto…

Ver o post original 1.387 mais palavras