À noite a chuva cai

Fantasticontos, escritos e literários

Os dias estavam muito quentes ultimamente. Para dizer a verdade nas últimas semanas, fazendo com que os habitantes da megalópolis permanecessem dentro de seus ambientes, fosse de trabalho ou nas suas moradas, o que fosse mais fácil.

Sid havia saído do banho. Ainda seminua olhava a cidade enquanto terminava de se enxugar. Teve a sorte, há cinco ciclos atrás, de ser selecionada para ocupar uma das torres da área noroeste da cidade, a que era mais habitada.

O sinal luminoso de alerta fora acionado. Tentou acessar a rede da edificação para saber o motivo e não conseguiu. Resolveu deixar para lá.

Vestiu-se rapidamente enquanto observava pelo visualizer1 o “homem” chamado Alquierus, em imagens sobre sua área de vivência. Aquela era a filmagem mais vista pela sociedade atual.

Ele estava ocupado tentando entender o funcionamento do pequeno coletor de energia. Alquierus olhava tudo ao redor com grande surpresa. Parecia ser…

Ver o post original 1.423 mais palavras