Sobre Futebol, Ditadura e Resistência: “Un Defensor que ni imaginam”

Taverna do Bloch

 Por Fernando Arnold Lorenzon

“O futebol nem sempre é o vilão da história. Às vezes, aqueles que querem manipular não contam que a resposta popular vai muito além do esperado…”  – Eduardo Galeano

O ano é 1976, terceiro ano da ditadura civil militar no Uruguai; na última partida do campeonato nacional de futebol daquele ano, o Defensor Sporting Club vence o Clube Atlético Rentistas na última rodada do campeonato nacional e sagra-se campeão uruguaio pela primeira vez na trajetória do clube, quebrando assim a hegemonia dos dois principais clubes do país no período, o Clube Atlético Peñarol e o Club Nacional de Football, desde que o futebol havia se profissionalizado no Uruguai.1

Ao passarmos os olhos por revistas voltadas ao futebol ou manchetes de jornais do momento, pode nos parecer que este feito seja “simplesmente” o triunfo de um Davi sobre os gigantes Golias, porém, longe de desmerecer a…

Ver o post original 3.444 mais palavras