Quebrados, artistas começam uma confeitaria em casa e viram sucesso durante a pandemia

UFW

Eles não tinham nem fogão, mas estão prosperando com o novo negócio
Natalie Kitroeff, The New York Times – Life/Style

David (centro) e Andrea empacotam as encomendas do Cuarentena Baking com a ajuda de Yorely Valero. Foto: Meghan Dhaliwal/The New York Times


CIDADE DO MÉXICO – Um forninho elétrico talvez não seja o eletrodoméstico ideal para começar umaconfeitariacomo deve ser, mas estamos no meio de umapandemia, e cada um faz o melhor que pode com o que tem. E o que dois artistas da Cidade do México tinham era um forninho elétrico que custou US$ 42.

“Estávamos quebrados”, disse Andrea Ferrero, as mãos enfiadas em uma tigela com massa para bolo. “Compramos a crédito”.

Assim como as legiões de outras pessoas no mundo todo presas em razão do fechamento docoronavírus, Andrea e seu namorado, David Ayala-Alfonso, começaram a cozinhar há vários meses para fugir…

Ver o post original 854 mais palavras