Música e democracia intersetadas

o lápis cor-de-rosa

«A Música ensinou-me a ser uma democrata afincada»

Ao iniciarmos um percurso artístico, independentemente do seu ramo, demarcamos o preâmbulo de uma autêntica viagem de autoconhecimento que nos permite entender que aquilo outrora concebido como um horizonte fixo é, afinal, mutável, inalcançável e infinito. Num dos inúmeros apeadeiros desta jornada musical, em conjunto com determinadas circunstâncias ao meu redor, fui confrontada com questões liberticidas, obscurantistas, e de iniquidade. Assisti aos seus resultados degradantes, o que estimulou a minha vontade em combatê-los, e me permitiu assimilar a necessidade de defender certas liberdades, em concordância com o exercício de certos deveres. Assim sendo, posso afirmar que a minha consciência democrática emergiu de todas estas tensões. A Música ensinou-me a ser uma democrata afincada. E eu passo a explicar como.

Começo por lançar a questão: o que move um verdadeiro artista?… Talvez a busca de uma essência, de uma verdade; superficialidades e…

Ver o post original 611 mais palavras