Fragmentos da Infinitena

Cais de Saudades

Estava passeando pelo meu instagram – a única pessoa que eu stalkeio sou eu mesma – e percebi como eu comia bem, até, sei lá, o ano passado. Uns pratos coloridos, com combinações de sabores, processos elaborados coisas assim. Não apenas o conteúdo (continuo comendo espinafre, cenoura, peixe, abobrinha, etc) mas o preparo, o cuidado, a apresentação. Continuo me amando (eu sou uma pessoa bem amável) mas tenho que caprichar mais na forma de demonstrar.

dance vinho

Uma atividade que me tranquiliza: alguém afiando o gume da espada.

O conto dez de dezembro, do George Saunders, é um negócio que fica mais e mais bonito em mim, quanto mais lembro dele. É meio mágico quando a literatura pega a gente assim.

O golpe, a eleição do presidente genocida e a pandemia me fizeram uma pessoa bem mais ranzinza. E depois que eu pego gastura…

Vinho, livros, máscaras, eu colaboro com a movimentação…

Ver o post original 222 mais palavras