Pluralismo – os ethe insolúveis.

Pensar o Trabalho e o Trabalho de Pensar

Ética.

Catrin Welz-Stein

Não há tradução satisfatória para a voz grega ethos, ethe. O termo significa tanto o caráter, como os princípios aceitos por uma sociedade, um povo, ou uma pessoa. Denota simultaneamente a ética, a moral e a consciência.

O ethos racionalmente fundamentado, a ética, é a instância legitimadora das condutas sociais. Difere do ethos dos costumes, que corresponde à moralidade, à expressão comunitária. Já o ethos enquanto consciência é “o demônio interior do ser humano”, conforme consta de um fragmento de Heráclito, o de número 119.

Apesar da dispersão de sentidos, os filósofos moralistas pretenderam que se administrasse a vida social como se administra um almoxarifado repleto de soluções postas em prateleiras. Mas, na época da comunicação instantânea, as prateleiras se esvaziaram, e o embate entre os ethe racional, o costumeiro e o pessoal veio à luz.

Os três ethe são distintos e muitas vezes…

Ver o post original 202 mais palavras