Nelson, eu sou Rodriguiana

Mulher Quebrada

*Texto inicialmente publicado no blog Barasa Plutônica, em 2015

Conhecer Nelson Rodrigues me transformou. Este homem brilhante, que percorreu do jornalismo à dramaturgia com elegância indiscutível me mostrou mais do que talento, temperamento, passionalidade, brilhantismo, erotismo, nudez… Este homem me mostrou quem sou. Sim, existem estudos sobre obras de Nelson Rodrigues, biografia do autor pelo impecável Ruy Castro, há uma nomenclatura para o que se refere ao autor: rodriguiano. Jeito rodriguiano, a obra rodriguiana, a alma rodriguiana etc.

Depois que descobri Nelson Rodrigues, se é que há como descobri-lo, percebi que eu não era apenas “anormal”, “louca”, “insana”, “perturbada” e tantos outros adjetivos, percebi que era rodriguiana. E rodriguiana em duas vertentes distintas e inerentes: na maneira de escrever e na maneira de ser. Mediante essa complexidade não tão absurda, me intitulo: mulher rodriguiana. O que é ser rodriguiana? Acho que já posso jogar fora toda a objetividade idiota…

Ver o post original 499 mais palavras