O dia em que escolhi ser uma contadora de histórias

K'hiwaná, o Encanto da Lua: Narrativas do Tempo

Isso foi há muito tempo. Eu ainda estava na faculdade e era estagiária no Museu Nacional de Belas Artes.

O Museu promovia uma série de palestras e seminários sobre os usos das artes nos mais diversos campos do saber.

Como estagiária, ajudava na produção do evento e, às vezes, acompanhava algumas palestras.

Eu tinha uns 22 anos e, vinda do interior, morava no Rio há um ano.

Neste dia, no salão do Museu destinado às palestras, vi entrar uma senhora muito idosa sentada em uma cadeira de rodas.

Era uma velhinha muito velhinha, dessas velhinhas bem enrugadinhas. Ela se sentava até meio tortinha para um lado e um cobertor antigo, daqueles quadriculados de marrom e bege, cobria-lhe as pernas até os pés.

O que acho curioso é que, embora já tenham se passado 26 anos desde esses acontecimentos, eu me lembro desse dia com uma rara nitidez: a roupa que…

Ver o post original 256 mais palavras