A mais bela trilha sonora da história do cinema

Revista Intertelas


Cena de “The Mission” (1986), de Roland Joffé. Crédito: Goldcrest Films.

Eu já escrevi em outras ocasiões sobre o meu interesse por trilhas sonoras e de como alguns diretores, utilizando-se de trilhas originais (ou não), radicalizam a estrutura narrativa do filme, tornando a música um elemento central e protagonista da trama. Como não se lembrar de “Tubarão” (1975), de Steven Spielberg, e das cordas em acordes ameaçadores de John Willians, ou mesmo a abertura do poema sinfônico de RichardStrauss, “Assim falou Zaratustra”, inspirado na obra de mesmo nome de Friedrich Nietzsche, que nas mãos de Stanley Kubrick torna-se um quase hino da aventura humana na terra e do mistério fundamental da existência, numa ressignificação maravilhosa da obra para o clássico “2001: uma odisseia no espaço” (1968) ?

Bem, a composição original para o cinema é uma obra de arte. Cabe ao compositor, em…

Ver o post original 825 mais palavras