CENSURA E A CABELEIRA DO ZEZÉ

Pedro Paulo Rasga a Mídia

censurado 4Será que ele é bossa nova
Será que ele é Maomé
Parece que é transviado
Mas isso eu não sei se ele é…” (Trecho da marcha carnavalesca “Cabeleira do Zezé”, de João Roberto Kelly).

A censura, lamentavelmente, voltou ao Brasil. E sem eufemismos. Em várias instâncias (federal, municipal). Por vários poderes (Executivo, Judiciário). O desembargador  Benedicto Abicair acaba de ordenar que o especial do grupo Porta dos Fundos“APrimeira Tentação de Cristo” seja retirado do ar pela Netflix. A decisão do desembargador atendeu a uma petição da Associação Centro Dom Bosco de Fé e Cultura. Pior do que a censura imposta pelo desembargador Benedicto Abicair foi a sua justificativa, na qual a emenda saiu pior do que o soneto: o desembargador alegou que, tirando o especial do ar, a medida “acalmaria os ânimos”. Se o clímax da exaltação dos ânimos foi o ataque a bomba…

Ver o post original 657 mais palavras