Solidão, que poeira leve

Vômitos Apaixonados

Como dizer que não estou com você quando estamos sorrindo, pior, gargalhando? Como dizer que não quero estar com você mas você não tem nada que ver com isso? Histórias tristes, sempre histórias tristes. Em vez de chorar as pitangas por amigos que eu devia considerar mas não me importo, melhor seria falar do meu mais novo amor da vida. A magrinha do ônibus. Não faço ideia do nome. Se chega a um e cinquenta é muito, morena clara cabelos lisos castanhos até o meio das costas, deve ter seus quarenta cinquenta quilos também, uns vinte e um vinte e dois vinte anos, só por olhar assim não sou bom em calcular nada, mas confesso que vê-la seis e tantos da tarde, sentada no ônibus conversando com a colega do trabalho, soltando de quando em quando aquele risinho cansado de canto com a cabeça encostada de leve no banco, olhando…

Ver o post original 493 mais palavras