A beleza afogada em nós

Sonia Zaghetto

Já faz algum tempo que nos ocupamos com a política – o que não é ruim. O homem – animal político – deve se preocupar com os rumos da pólis, vigiar os que comandam o destino do grupo e os que detêm a chave do cofre. Participar é fundamental. Dá a todos a sensação de determos algum poder no jogo dos poderosos.

Há milênios embarcamos com gosto renovado nesse embate que nos consome. Escolhemos um lado, que consideramos o melhor para a nossa aldeia, e nos dispomos a defendê-lo com fúria – até a golpes de tacape sobre o adversário.

A história está cheia de períodos em que o sangue ferveu na defesa de ideias, personalidades, propostas. É como droga a nos consumir.

A entrada em cena das redes sociais agravou o cenário. Agora há a possibilidade de nos fecharmos em grupos que nos reforçam as ideias ou o comportamento…

Ver o post original 633 mais palavras