“O perigo real é que, se ouvirmos mentiras suficientes, não reconheceremos mais a verdade…”

Digital RuAZ

Por Névelyn Silva

Assim fui inserida no universo de Chernobyl retratado na minissérie da HBO, na mesma semana em que assisti, em tempo real, uma Amazônia em chamas.

Era 19 de agosto, às 15:30, quando o céu de São Paulo ficou de luto. Os pesquisadores concluíram se tratar de partículas provenientes de queimadas ocorridas nas regiões Centro-Oeste e Norte, entre Paraguai e Mato Grosso, abrangendo trechos da Bolívia, Mato Grosso do Sul e Rondônia.

Diferente do que aconteceu entre os Estados Unidos e a União Soviética, a guerra aqui não é fria, é quente. Frio é somente quem decide quem entra e quem sai vivo. Como não temos bombas capazes de derrubar nossos inimigos, escolhemos tentar suicídio.

A pasta do meio ambiente foi esvaziada e venenos foram liberados para consumo. Além disso, movimentos que sempre lutaram e produziram para que nossos alimentos chegassem sem contaminação à nossa mesa estão sendo…

Ver o post original 277 mais palavras