Relicário

 Eu queria ser um relicário das lembranças do passageiro de trem que olha pela janela à espera do chá enquanto vai deixando vida para trás. Eu queria ser um pequeno relicário das memórias da criança que cresceu e precisou partir, desfazer das bonecas, dos laços de fitas coloridas nos cabelos. Eu, relicário das histórias daquela senhora à espera de quem sabe o ontem- sua própria relíquia, meio perdido no agora do tempo. Eu queria ser, mais do que um relicário, um canário belga dentro de cada um desses corações. Canções apenas.

Ver o post original