E se o metrô da cidade maravilhosa fosse das mulheres?

AS MINA NA HISTÓRIA

No Rio de Janeiro, apenas duas das 36 estações de metrô, levam nomes femininos. E ainda assim, são nomes religiosos, ligados à igreja católica. Uma estação faz ligação com Carlota Joaquina, mas não enquanto mulher e sim sobre o bairro que foi sua propriedade. 10 estações homenageiam homens: engenheiros, escritores, presidentes, militares e etc. Mas e as mulheres? Será que Leila Diniz, Chiquinha Gonzaga, Maria Lenk, Nise da Silveira e outras, não merecem ser reconhecidas? Qual é a dificuldade em homenagear mulheres? em reconhecer as mulheres?

Nesse 8 de março, nossa proposta foi trazer visibilidade às mulheres que atuaram como agentes históricos na cidade do Rio de Janeiro, um centro cultural importante no país. Nomes que podem ser desconhecidos para alguns e que merecem circular e nomear estações, praças, ruas e avenidas.

O mapa foi inspirado no trabalho das companheiras chilenas da Coordinadora Feminista 8M, que renomearam as estações do…

Ver o post original 3.734 mais palavras