Bergson e o inconsciente

eu(em)torno

Bergson

Bergson foi um filósofo francês que escreveu entre o fim do século XIX e o início do XX, praticamente contemporâneo de Freud. Sua principal característica, creio eu, era a capacidade de descrever qualquer coisa, mesmo aquelas que fariam um poeta tremer – com incrível clareza e precisão.

Sou apaixonado por essa sua clareza, especialmente porque ele se dedicou a defender pontos de vista que, a princípio, eu julgaria indefensáveis, mas que na sua pena adquirem todo um outro tom – e parecem, depois de seus argumentos, incriticáveis…

Um desses pontos é uma defesa do irracional, não como algo oposto à racionalidade, mas como algo formado em outras bases, isto é, basicamente, algo formado pela intuição, não pela razão.

***

Uma crítica muito bergsoniana é a crítica da noção filosófica de tempo. Bergson diz que nossa inteligência foi formada para fins práticos, para fins de ação – não de…

Ver o post original 661 mais palavras