[O diário de um suicida]

Uma Janela para as Estrelas

[O diário de um suicida]

Um dia.

Dois dias.

Três dias.

(E nada de novo acontece.)

Quatro dias.

Cinco dias.

(Devo fazer uma lista do que me desagrada, mas como colocar em poucas palavras o que ocuparia um livro inteiro?)

Seis dias.

Sete dias.

(E me esforço para tentar ser simpático, mas tudo é em vão.)

Oito dias.

Nove dias.

Dez dias.

(E mais uma crise de choro, e mais uma vez a crença irreparável de que nada dará certo e o que restam são o vazio e a morte.)

Onze dias.

Doze dias.

(E, enfim, um pouco de calma: consigo o que quero. Mas será que é o suficiente? Não, não…)

Treze dias.

Quatorze dias.

Quinze dias.

Dezesseis dias.

(E é tudo a mesma coisa: a mesma viagem de ida e volta para o mesmo lugar, sempre com as mesmas carrancas antipáticas me encarando a todo o momento.)

Dezessete dias.

(E observo como as…

Ver o post original 2.290 mais palavras

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s