A Foda

A Tétrica Narrativa

“pura convenção achar o sexo obsceno” – Lygia Fagundes Telles, “As meninas”

A xícara de café estava quente, cheia e densa. Meu corpo, tremia, numa ode de obscenidades, enquanto sorvo o café, aperto as coxas, uma na outra, numa tentativa frustrada de tentar conter o gozo. Para quê conter? Eu poderia ir ao banheiro, deixar as coisas numa prateleira, dentro da cabine, abaixar minhas meias e me tocar até não sentir mais minha própria musculatura, tensões e nervos à flor da pele. Mas eu não poderia gritar. Não poderia gemer. Eu gosto do grito, do sussurro, a voz, a boca, o gemido. Todos os sons do prazer estarrecido são como uma sinfonia para os ouvidos. Fazem parte do meu, do seu prazer. Tomei mais um gole de café, apertei-me mais um pouco, coxa contra coxa, mais um espasmo, mais uma onda de calor. Penso mais uma vez no poder sinuoso…

Ver o post original 177 mais palavras

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s