[As apostas]

Uma Janela para as Estrelas

[As apostas]

Olhos voltados para o campo: a bola dava os seus eternos rodopios rumo ao vazio numa grande ciranda de ilusões. Vinte homens corriam atrás dela, loucos, tenazes, cúpidos. Para quê? Ninguém sabia: a meta tinha que ser atingida porque tinha que ser atingida. As pernas tinham que se transformar temporariamente em armas porque a meta tinha que ser atingida. Os pés tinham que se metamorfosear e se transformar em algo etéreo e sublime porque a meta tinha que ser atingida. Os corpos tinham que levitar na grande área porque a meta tinha que ser atingida. E, assim, no grande teatro feérico, as emoções iam acontecendo, e a esparsa claque daquele espetáculo ia acompanhando a tudo numa tentativa vã de fugir de suas realidades medíocres através do que é homérico. Contudo, quando o primeiro ato havia se encerrado e as grandes cortinas haviam caído, os olhos deixaram de se fixar no…

Ver o post original 1.371 mais palavras

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s