O Tempo e os Rituais de Passagem

Eros e Conatus

Eu me lembro das aulas de filosofia na faculdade quando aprendemos, bom, eu aprendi, sobre as ideias de Heráclito e Parmênides do Mobilismo e Imobilismo. Para Parmênides, nada realmente muda, a mudança é uma ilusão, pois o Ser permanece sempre o mesmo. “O ser é e não pode não ser e o não-ser não é e não pode ser de modo algum”. Eu sempre achei isso meio “duh” até começar a ler sobre Heidegger e entender (um pouco) o tamanho da profundidade disso.

Já Heráclito tinha uma ideia oposta, de que o ser está em constante mudança, nada é estático, tudo é dinâmico, como mostra naquela famosa frase “não se pode entrar no mesmo rio duas vezes, pois o rio e a pessoa já não são os mesmos” ou algo do tipo.

– Estamos mudando o tempo todo, sem perceber, a cada segundo – meu professor disse – mas…

Ver o post original 493 mais palavras

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s