Tragédias por segundo

L. K.

Um homem estava atravessando uma rua em direção a calçada com passos calmos. Os pássaros da cidade, quando o ambiente era calmo e sem ruídos, emitiam cantos belíssimos em sua comunicação diária. Quando fez o trajeto da esquina, pôde ver que ali há alguns metros de distância havia acontecido um acidente. Que azar.
 Os paramédicos estavam tentando reanimar um homem, que foi atropelado por uma caminhonete da Ford. Seu corpo foi arremessado tão longe que podia se ver o rastro rubro de sangue respingado no asfalto, como respingos de tinta depois de terem pintado uma parede com o vermelho da tragédia. O homem foi se aproximando e pôde ver que o acidente era de proporções bem maiores do que ele imaginava. Do lado esquerdo da caminhonete F-1000, de pintura corroída pelo sol e com vários botões na lataria contaminados pelo ferrugem, havia o corpo de uma pessoa ensacada com…

Ver o post original 189 mais palavras

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s