Blues

Poesia Viva

As épocas melancólicas foram sufocadas com o brilho
de meu esmalte

Mas ele descascou, então
deixei fluir pelas veias
as batidas de vida
que entraram trazendo melodias mortais

Deixei cravar no rosto
as milhares de palavras
desajustadas

De repente, meus olhos acenderam
meu corpo se arrepiou e
senti na pele algo querendo
sair

A fuga da minha loucura
se abriu como
rosa de papel virgem

De repente a fuga da insanidade
me apalpou igual fruta
ainda verde
e se abriu igual ao sol
depois da chuva

Risquei no telhado da alma
dizeres incompreensíveis
das desordens mentais

Amei por milênios as células
individuais de teu semblante limpo

Desenhei as cordas vocais
em braseiros quebrados
e arranhei 
cada parte de minhas coxas

Ouvi as batidas do coração
como um blues impulsivo
devorando todas as notas
de erros artísticos

E errei por mais quinhentos e oitenta e cinco
noites seguidas
e caminhei através…

Ver o post original 129 mais palavras

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s