Cinema, poesia e fuga

KUNST KULTUR

“… porque o isola, graças ao silêncio e a escuridão, do que podemos chamar de seu habitat psíquico, o cinema é capaz de pôr o espectador em êxtase melhor do que qualquer outra expressão humana.
… É o melhor instrumento para exprimir o mundo dos sonhos, das emoções, do instinto. Em todos os filmes, bons ou maus, além e apesar das intenções dos realizadores, a poesia cinematográfica luta para vir a tona e se manifestar.”

Luis Buñel, A poesia do cinema, 1955

A arte, no geral, é fuga. Tanto para quem produz como para quem consome. Ela nos exige total atenção e entrega. Nos lugares dedicados a contemplação, podemos perceber que tudo é feito para que nossa atenção seja voltada ao objeto. No cinema isso é mais visível: desde a compra do ingresso até ao fim do filme, parece um ritual : vestimos nossa melhor roupa, saímos da nossa casa…

Ver o post original 631 mais palavras

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s