Toda arte será perdoada.

A Tétrica Narrativa

“A irresponsabilidade faz parte do prazer na arte; é a parte que os acadêmicos não sabem reconhecer.”  (James Joyce)

Era uma manhã qualquer no dia de Augusto, 34 anos, professor de artes. Deitado na cama disposta no canto de um ateliê improvisado, o artista  olhava os quadros na parede vermelha e em outros closes, desdenhava os quadros não vendidos encostados no canto da parede. Qual será a próxima obra? Mais uma encomenda de retrato?

– Poderiam tirar selfies e pendurar na parede. Era quase a mesma coisa.

Pensava ele, olhando para o teto e as hélices do ventilador espalhando bafo quente de quarto fechado.

Não podia criar nada além do óbvio fotográfico que lhe era entregue, então qual era graça? Entregavam-lhe uma fotografia, “faça meu retrato exatamente como está aí”. Ele aceitava. Dinheiro era algo ao qual não poderia dispensar.

-Querem pagar um preço de banana nos meus quadros…

Ver o post original 2.747 mais palavras

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s