Os Pecados De Alguém Mas Não Os Meus

Thomaz Amâncio

(Uma versão anterior deste texto foi publicada em minha newsletter, a Ócio Compulsivo. Todos os domingos, envio indicações, ensaios e textos críticos relacionando Literatura, Cinema, Música, Artes e Pensamento.)

A primeira vez que eu ouvi falar de Patti Smith foi através da minha professora de redação do colegial, uma mulher excepcional que me ensinou muito sobre a vida e, como um vento leste muito forte, alterou o rumo da minha. Ela era, e continua sendo, uma pessoa feroz (no melhor sentido da palavra) a respeito de suas paixões e de suas crenças. Foi ela quem me apresentou ao feminismo, à poesia de Wisława Szymborska, e às verdadeiras possibilidades do trabalho docente. Com frequência, nos intervalos das aulas, ela ficava do lado de fora da sala dos professores, conversando com os alunos – ouvindo e falando. Em uma dessas ocasiões, ela mencionou a música e a poesia de Patti, citando um de…

Ver o post original 986 mais palavras

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s