Mercado editorial: escrita profissional, publicação amadora ou exclusão?

ESPAÇO DA GENTE

Pensar o mercado editorial e, principalmente o brasileiro, exige fôlego, pesquisas e bastante reflexão. Em plena era digital, a publicação de livros em papel ainda é grandiosa e cresce cada vez mais o número de pequenos escritores que querem ver um exemplar seu na estante.

Mas é aí que reside a polêmica. De acordo com Laura Bacellar, editorialista formada pela USP, surge anualmente no Brasil cerca de 25 mil novos títulos. O número é expressivo, mas para Laura ser publicado não é suficiente. O mercado está atolado de livros e num Brasil que lê pouco, há mais livros que leitores. É difícil divulgar um livro e fazê-lo circular. Aí é que está a diferença. Há editoras grandes, como aquelas que todo mundo conhece, em que o autor não investe nem um centavo do bolso e ainda recebe os direitos autorais. O objetivo delas é, única e simplesmente, vender. Por isso…

Ver o post original 743 mais palavras

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s