Afetos (bio)Políticos – Esgotamento

Razão Inadequada

O esgotamento pode ser uma categoria política, biopolítica, micropolítica até, desde que se compreenda que não equivale a um mero cansaço” – Peter Pal Pelbart, O Avesso do Niilismo, p. 413

O esgotamento é um afeto que precisa ser abordado de frente, olho no olho. E dizemos mais, há uma urgência de fazê-lo exatamente neste momento. Isso porque é nítido o fechamento dos modos de vida em nossa sociedade, sua morbidez quase que completa. Os deslizamentos desta sociedade fecharam todas as alternativas que conhecíamos. Somos a vida rebaixada, esgotada, que não sabe o que fazer com isso.

Olhamos para a televisão como se fosse um espetáculo distante, não tomamos nenhuma atitude nem quando a água bate na bunda, estamos paralisados. Somos uns bundões? Não…. diríamos apenas que estamos esgotados, absolutamente esgotados, num estado de lassidão profunda. Não há energias, nos tornamos zumbis, manequins, máquinas, múmias. Vidas de plástico. Vida besta…

Ver o post original 1.199 mais palavras

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s