Ser feminista é ser punk

Eu, tu, elas

por Letícia Souto

Na minha concepção, o punk pouco tem a ver com o som. Punk é atitude, a essência do DIY (faça você mesma) se aplica a várias situações. Punk tem a ver com raiva, com chegar sem bater; chegar com os dois pés na porta. Às vezes isso é expurgado no som, às vezes nas letras, às vezes em nenhum dos dois.

O punk não é só sobre música.

Ser punk é andar sozinha na rua à noite. É criar filhos e sustentar uma casa. Ser punk é se reconhecer num relacionamento abusivo e se esforçar ao máximo pra sair dele.
É sobre ter autonomia de dizer não quando bem entender, em alto e bom som.

Se você se acha punk mas é contra o feminismo, sinto em dizer: cê é punk coisa nenhuma!

É meter a colher na briga do casal do apartamento de cima. É não passar pano…

Ver o post original 195 mais palavras

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s