Legado ético e comportamental do Experimento da Prisão de Stanford

MARTINICANDO

Em 17 de agosto de 1973, o professor Philip Zimbardo deu início a um dos estudos mais controversos da história da Psicologia social: o experimento da prisão de Stanford. Zimbardo, famoso psicólogo e professor emérito da Universidade de Stanford, EUA, estava interessado em estudar a psicologia que envolvia os guardas de prisões americanas. Seu objetivo era descobrir se a brutalidade demonstrada por estes guardas se devia à sua personalidade sádica ou se devido à influência do ambiente prisional sobre os mesmos. Para tanto, Zimbardo delineou um estudo que abre caminho para várias discussões dentro da Psicologia, principalmente nos conceitos de comportamento humano e ética na Ciência Psicológica.

Para dar início ao estudo, anúncios foram publicados em jornais, selecionando universitários do sexo masculino que receberiam 15 dólares por dia para participar do experimento. Em resposta ao anúncio, mais de 70 jovens passaram por um processo de seleção que incluía testes psicológicos…

Ver o post original 1.856 mais palavras

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s