Trabalho, vida e morte

Aulas do Tio Mauri

Um dos temas que mais ocupam minha inquietação filosófica é a questão do trabalho. Obviamente, nos realizamos enquanto seres humanos no trabalho, principalmente se o tomarmos no sentido que Hegel descreve na parte sobre o senhor e o escravo da Fenomenologia do Espírito. No parágrafo 193 da obra, ele afirma o seguinte:

“A verdade da consciência independente é, por conseguinte, a consciência escrava. Sem dúvida, esta aparece de início fora de si, e não como a verdade da consciência-de-si. Mas,como a dominação mostrava ser em sua essência o inverso do que pretendia ser, assim também a escravidão, ao realizar-se cabalmente, vai tornar-se, de fato, o contrário do que é imediatamente; entrará em si como consciência recalcada sobre si mesma e se converterá em verdadeira independência”.

HEGEL, 1992, p. 131-132

Na minha interpretação, o filósofo dialeticamente inverte a realidade entre dominador e dominado, colocando o senhor como dependente de outro…

Ver o post original 726 mais palavras

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s