Simone, francesa, filósofa e revolucionária

Plurais

Apesar do título, este texto não é sobre Simone de Beauvoir, mas sim sobre Simone Weil. Atenta à vida operária, ela trabalhou em fábricas e no campo e refletiu à cerca da injustiça, do colonialismo e outras opressões

Em carta escrita em 11 de fevereiro de 1951, Albert Camus afirma à Selma Weil, mãe de Simone: “Simone Weil, eu sei ainda mais agora, é o único [palavra sublinhada por Camus] grande espírito de nosso tempo e espero que aqueles que reconhecem isso, tenham suficiente modéstia para não tentar se apropriar desse testemunho impressionante”. Foi nos aposentos de Simone Weil que o ganhador do Prêmio Nobel de Literatura de 1957 foi se inspirar antes da cerimônia de entrega do prêmio, na Suécia. A admiração de um dos maiores escritores argelinos por uma filósofa francesa de origem judia e de vida tão curta é a mesma de muitos que descobrem a…

Ver o post original 2.244 mais palavras

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s