As mãos do homem sobre o paraíso

Ecologia dos Saberes

Por Vandré Fonseca

Manaus, AM — Ao lado de impressionantes geoglifos, índios que viveram há centenas ou milhares de anos onde hoje é o estado do Acre deixaram inúmeras outras marcas, bem mais sutis. Elas precisaram de olhos e instrumentos de cientistas para serem notadas. Esses registros estão ajudando arqueólogos e outros pesquisadores a explicar mudanças ocorridas na floresta amazônica de 6 mil anos atrás até a chegada dos primeiros europeus.

A análise de vestígios fossilizados de plantas, restos de carvão e levantamentos florísticos em áreas vizinhas aos geoglifos demonstrou que, além de construir esses misteriosos monumentos (talvez usados em rituais religiosos), os antigos índios enriqueceram a floresta com espécies úteis. E provocaram bem menos impactos sobre a natureza do que acreditam outros estudiosos. A pesquisa foi publicada nesta segunda-feira na revista Proceedings of  the National Academy of Sciences (PNAS).

Conforme explica a autora principal do artigo, a arqueóloga…

Ver o post original 595 mais palavras

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s