O último trago

Dando o texto sem recalque

_dsc0294

Dia 9 de janeiro de 2017, às 23h40. Assim como um condenado no corredor da morte que pede sua última refeição, quando vi o último cigarro no maço, fui à cozinha para meu café ‘nicotinado’.

Peguei a cafeteira italiana made in China e preparei uma xícara grande de café do melhor pó que meus últimos putos na conta bancária poderiam comprar neste mês de janeiro. Diferente do condenado que caminha pelo corredor da morte após sua refeição, minha xícara de café com cigarro é para uma vida mais saudável.

Liguei para minha mãe. Vou fumar parar de fumar. Falo com ela, às onze e pico da madrugada. Ela fala baixo comigo, da sala do asilo que trabalha.

Enquanto isso, mexo nos sete maços vazios acumulados em minha escrivaninha. Acho mais um cigarro perdido. Que merda, ajuda destino! Ela ri do outro lado. Melhor, ou pior, poderia fumar um do começo da…

Ver o post original 256 mais palavras

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s