Ébrio perante a vida

Grupo dos Cinco

Prisão. Eis o que define nosso Velho. Hank – como era conhecido – não era um exemplo, nem fazia questão de ser. Nunca foi um escritor convencional, nem haveria como ser. Sua poesia, sem métrica e rudimentar, irritava os críticos da época. Tais opositores a chamavam de amadora e suja. A prosa, por sua vez, também não fugiu das duras críticas. Os temas escolhidos por Bukowski não agradavam a nata da intelectualidade estadunidense. Tudo bem, ele os odiava. Assim como odiava a quase todos em sua volta. Odiava até a si.

Buk jamais foi um exemplo de pessoa. Por alguma razão, nasceu sem compreender o jogo social. Aquele contrato invisível que fazemos ao nascer em uma sociedade organizada: Sorria para os desconhecidos, ajude os idosos, faça sua doação anual para a igreja mais próxima, seja simpático em uma reunião de família. Quase todos nós fazemos tais coisas sem ao menos…

Ver o post original 525 mais palavras

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s