Meninos, não chorem!

Blog da Lica

Antes, quando uma mulher se indignava ou gritava, ela era uma voz isolada. Quando muito algumas poucas amigas, reunidas entre elas. Hoje quando gritam são muitas, e fazem barulho. Eu sempre reclamei, por exemplo, da exploração do corpo feminino nos filmes brasileiros. Sempre vários tons acima do que a história pedia. Nunca suportei pornochanchada, entre outras coisas, por isso. Há poucos anos vi a entrevista de um dos atores de pornochanchada contando da época e vi que tinha razão. Ele confirmava que iam na base do: vai, tem um monte de gostosa. Muito filmes não tinham roteiro. Era chegar, turbinar e deixar acontecer. Acho que ele foi um dos poucos honestos. Depois disso teve essa reconfiguração da pornochanchada como cinema de resistência. Podia ser resistência enquanto insistia no fazer filme, mas insisto que era só exploração em relação às mulheres. Da mesma forma sempre questionei a construção do amor romântico…

Ver o post original 200 mais palavras

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s