Existencialismo em Clarice Lispector

Miscelânea Pontual

Uma imersão filosófica em “A Hora da Estrela”

 Umas das piores coisas que se faz ao escrever (eu sinceramente detesto fazê-lo) é o sedutor vício de tirar o autor de seu contexto em escrita. O autor está munido de uma linha de raciocínio e diálogo com a temática trabalhada em sua obra, sendo uma “heresia” isolar uma frase ou parágrafo e aplicá-lo até num viés em que o próprio autor discorda, ou antes, nunca pensou. Perigosa é tal prática, onde podemos usar os “clássicos” para teorizar formulações distantes e excêntricas que estão aquém do real discurso do autor em questão.
   Porém, embora eu – particularmente – não seja fã de tal prática, acredito que, em alguns casos, a contribuição descontextualizada de um autor pode ilustrar o ponto chave do pensamento ali desenvolvido. Nesse caso, apresento aqui sete parágrafos da obra “A Hora da Estrela” de Clarice Lispector, ilustrando assim…

Ver o post original 2.179 mais palavras

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s