Física e Literatura? O que Júpiter, você e Machado de Assis têm em comum?

LITERALIZA

Bons são os autores que conseguem extrair do universo e de seus sinais matéria para entender a própria vida.

O trecho a seguir pertence ao livro Memórias póstumas de Brás Cubas de Machado de Assis, que foi publicado originalmente em 1880, e é considerado por muitos críticos o livro da virada de Machado.

Brás Cubas é um defunto autor, homem de meia idade que morre e escreve suas memórias do Além. Irônico, egoísta e volúvel, ele comenta tudo que viveu e o que pensa sem se preocupar com as aparências sociais exigidas em vida.

Além disso, a personagem também solta suas teorias filosóficas, algumas emprestadas de outros autores, outras cunhadas pelo próprio Brás Cubas, como esta, que mistura ciência e filosofia e retrata bem as opiniões de Brás Cubas (e do próprio Machado) sobre as sucessões da vida, a passagem do tempo e a unidade de tudo isso. A ocasião é o enterro do marido de…

Ver o post original 765 mais palavras

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s