Terror Noturno

Publicado originalmente em Escritos de Afeto:
Tenho sonhado O fim do mundo A histeria coletiva O apocalipse incompleto Já são noites seguidas Em que fujo a esmo De monstros-homem Para acordar eufórico Boca babada em raiva Olhos epilépticos por medo Da dor de mortes que morri Como que num teste Testo meu fim em pesadelos…

Sobre o lixo.

Publicado originalmente em Dá um brilho! :
Eu decidi duas coisas hoje. A primeira é que vou parar de falar sobre o comportamento do meu irmão. Aliás, vou parar de falar sobre ele nos meus textos, só vou menciona – lo aqui quando as atitudes dele mudarem. As minhas em relação a ele também tem que…

Novas considerações sobre arte

Publicado originalmente em Henrique Vitorino:
Fazer arte é um ato de coragem. Todo artista, antes de encontrar-se com sua obra, tem um intenso diálogo consigo mesmo – e não necessariamente é um diálogo tranquilo. Muitas vezes, como Dante em sua “Divina Comédia”, precisamos encontrar o pior em nós antes de quedar-nos em campos sublimes. É…

O comentário de arte como possibilidade de exercício Descolonial

Publicado originalmente em Revista Desvio:
“Descolonizar o conhecimento significa criar novas configurações de conhecimento e de poder.” Grada Kilomba A obra “Conakry” (2016), da artista portuguesa Grada Kilomba, ressalta a necessidade da ocorrência de certas imagens que quando anunciadas podem interferir na realidade de certas perspectivas históricas. A saber, trata-se de imagens recuperadas do processo…

O Autista e a Alma das Máquinas

Publicado originalmente em Ideias:
Não sei se o termo certo para a condição dele era autista. O que eu sei era que ele passava muito tempo assistindo aquela velha televisão. Uma TV que ainda recebia sinais UHF e que passava programas ruins que ele nem prestava atenção. Quase toda sua atenção estava voltada para os…

Os sofrimentos do jovem Werther – Goethe [Resenha]

Publicado originalmente em TRAGÉDIA:
“Sol, lua, estrelas podem seguir tranquilas a sua orbita, que para mim já não há mais dia nem noite, e o mundo inteiro dissipou-se a minha volta”. Inebriado pela partida de Carlota, é assim que o jovem Werther sente-se, cegado pela sua avassaladora paixão. É praticamente incomensurável a suavidade trágica…

CONTÍCULOS (137) Emperramento

Publicado originalmente em desaforos:
? ? Máquina sem partida e eu a cogitar se desastre, se assalto, se falta de gasolina, se filme, se poesia, se metáfora para vida amorosa, se foto, se tanto, se tão pouco. ? ? — Paulo Paniago ?

pensar pensar pensar

Publicado originalmente em sandro ornellas:
Li uma entrevista com o alemão Bernd Ternes sobre Giorgio Agamben que referenda o que penso ser hoje a abertura possível para reflexão diante das mudanças políticas que presenciamos. Também percebi essa tentativa de abrir espaços de reflexão em uma entrevista com José Arthur Giannotti na Folha  ano passado, a propósito…

Motivação

Publicado originalmente em pinturasgianeportal:
Extravase. 30cmX42cm Técnica mista sobre papel Eu não estou interessada no desenho ou no realismo. Para isso, tenho a fotografia.  O desenho exige controle, precisão, paciência – e uma referência objetiva externa, embora a motivação do artista sempre tenha algo de interno. Sendo uma intuitiva introvertida, minha referência é totalmente interna…

Sal & Amanda (Ana Calêndula)

Publicado originalmente em As Contistas:
─ Tem certeza? Não quer pensar melhor? Olha que esse é um caminho sem volta… Mas Amanda estava decidida. Nem mesmo um único cílio tremulava em hesitação. Nunca tivera tanta certeza na vida. Aquela era mais uma promessa de verão que cumpria sorrindo. ─ Manda ver! E assim, o som metálico ganhou…